Brasília suga Nossos impostos

Há um grave problema fiscal que envolve São Paulo: todo ano o governo federal brasileiro vem e pega quase todo o dinheiro dos impostos paulistas, deixando São Paulo com muito pouco. Veja, por exemplo, o quanto o Estado de São Paulo perdeu, no ano de 2015, por ainda fazer parte da federação brasileira:


O problema não é só a quantidade absurda de impostos pagos pelos cidadãos paulistas. O pior é que São Paulo, com tantos problemas - crise hídrica; criminalidade; falta de bons hospitais em muitas cidades do interior e do litoral; baixos salários para professores, policiais, bombeiros e outros funcionários públicos - tem de ficar frequentemente 'com o pires na mão', pedindo verbas para o governo federal, por ficar com muito pouco do dinheiro que nós, paulistas, pagamos em impostos.

Nós, paulistas, ficaríamos até felizes em pagar para o governo federal, se esse nosso dinheiro fosse bem usado. Mas grande parte do que pagamos em impostos acaba sendo desperdiçado para cobrir o orçamento de 15 Estados que não conseguem nem pagar sozinhos suas próprias contas - ou seja, o dinheiro de seus impostos, paulista, acaba indo para pagar dívidas de outros Estados brasileiros.

E se isso já não fosse injusto o suficiente, o problema fiscal paulista é agravado ainda mais pela absoluta disparidade entre quantos somos dentro da federação; quanto nós, paulistas, pagamos em comparação com os brasileiros nos outros Estados; e nossa insignificante representação política no Congresso brasileiro.

Nós, paulistas, somos apenas 22% da população...

Com 44 milhões de habitantes, o atual Estado de São Paulo representa apenas 22% da população total da federação brasileira. A questão é que em termos de atividades econômica, os 44 milhões de paulistas produzem quase o mesmo que os outros 160 milhões de brasileiros.

Isso se deve não apenas ao dinamismo econômico do Estado de São Paulo, mas também ao respeito que nós, paulistas, temos pelo trabalho, pela valorizacão do esforço pessoal e ao apreço que nós, paulistas, temos pela livre iniciativa.

...mas bancamos 45% do orçamento federal...

E essa ética do trabalho, essa vontade natural do paulista em empreender, em trabalhar duro e criar mais renda e empregos, é atrapalhada pelo governo federal, que fica com mais de 92% dos impostos que São Paulo arrecada a cada ano.

Apesar de sermos apenas 22% da população, nós, paulistas, 'contribuímos' com 45% do orçamento do governo federal brasileiro. Esse dinheiro, que poderia estar melhorando a vida de quem mora em São Paulo, acaba indo para Brasília, e se perdendo, muitas vezes, em falcatruas e esquemas de corrupção.

...e só temos 13% dos deputados no Congresso!

Um Estado que 'contribui' tanto com o orçamento federal deve ter uma representação grande no Congresso brasileiro, certo? Errado! A maior injustiça contra São Paulo é que, apesar de sermos 22% da população, apenas 13% de deputados federais vêm de São Paulo.

É como se Brasília falasse para São Paulo: 'Olha, apesar de vocês nem serem tantos assim, vou cobrar bem mais de vocês do que qualquer outro Estado, paulistas, porque preciso do seu dinheiro, mas nada disso de ter voz ativa no Congresso nem ter muitos deputados, ok?" - Isso é justo?

Se nossos impostos ficarem aqui:

Melhor atendimento médico

Com a independência paulista, o orçamento de muitas áreas públicas pode mais que triplicar, o que vai permitir construir novos hospitais e mais centros de saúde por todo o novo país, e equipá-los com o que há de mais moderno em termos de medicina e cuidados médicos.

Mais recursos para segurança

A área da segurança será muito beneficiada pelo grande aumento de receita: maiores salários para os policiais e agentes; equipamentos e viaturas melhores; treinamento ainda mais eficiente; e investimentos em serviços de inteligência vão derrubar a criminalidade no país novo.

Escolas bem melhores

O país novo terá uma educação de qualidade, com escolas muito mais bem equipadas, com computadores, laboratórios e auditórios modernos; com professores novamente valorizados, recebendo um salário digno; e com uma grade educacional bem pensada e planejada.

Impostos e preços menores

Com mais dinheiro em caixa, o governo do novo país poderá fazer um sistema tributário menor, mais coerente e eficiente, o que deixará menores os impostos embutidos em todos os produtos, diminuindo o preço de tudo, fazendo com que você compre mais, gastando menos dinheiro.

Urbanização das favelas

Com tantos recursos financeiros, o governo do país novo fará grandes obras de urbanização. Em pouco tempo, favelas e cortiços serão coisa do passado em São Paulo. Grandes obras para aprimorar o sistema de distribuição de água darão um fim à crise hídrica paulista.

Investimento em pesquisas

Tendo muito dinheiro para investir em pesquisas dos centros científicos paulistas, o governo do país novo vai banir doenças como Dengue, Zika ou Febre Amarela do território paulista. São Paulo vai virar, rapidamente, referência mundial na produção científica.

Fontes dos dados atualizados: Arrecadação - Portal transparência

São Paulo Livre é um movimento civil pacífico, apartidário, que organiza ações sobre a causa separatista, como palestras, reuniões, debates e manifestações públicas. Não há espaço para racismo, segregação ou conclamação à violência no SPL. Toda e qualquer pessoa é bem-vinda para filiar-se ao movimento.

As 4 Verdades do SPL

Contato Direto

(11) 990-121-441 contato@saopaulolivre.org loja@saopaulolivre.org